domingo, 19 de outubro de 2008

Conservação e difusão da Bíblia

TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE A BÍBLIA - 3 ª parte 
Conservação e difusão da Bíblia 
Antes que Gutemberg inventasse a imprensa, a Igreja conservava e difundia a palavra de Deus

Por Anderson Pontes
Publicado originalmente em 17 de setembro de 2005

Conservação e Difusão da Bíblia
Para nós, hoje, é muito fácil ter a Bíblia em mãos e imaginar que sempre foi assim, impresso e colecionados todos juntos. Mas a invenção da imprensa por Gutemberg só ocorreu por volta do ano 1450, e a Bíblia teve que ser retransmitida por muitas gerações sem o uso desta tecnologia. Utilizava-se tijolos, papiros e pergaminhos.
  • Papiro -  tirado de uma planta especial (papirus); cortando-se os filamentos do tronco, saía como que uma folha larga e comprida, que era enrolada e se podia escrever de um lado.
  • Pergaminho - pele de animal (ovelhas e cordeiros), devidamente preparada, na qual se podia escrever; chama-se assim porque esse método foi inventado na cidade de Pérgamo, antiga capital da Mísia.
Os antigos monges transcreviam a Bíblia em milhares de cópias em pergaminhos. Cada monge levava cerca de um ano para transcrever, do próprio punho, toda a Escritura. Desta forma, eram poucas as edições disponíveis, comparadas com as edições de hoje.

Por estas razões, a Igreja mantinha cuidadosamente as suas edições, pois não se tratava só de um tesouro espiritual, mas também de um tesouro material. Neste contexto é possível entender sem indignar-se com o porque de haver Bíblias "encadeadas" nas paredes dos templos. O encadeamento não era uma proibição ao uso da Bíblia pelas pessoas, mas uma forma de exaltá-la, livrando-a da extinção. Dificil imaginar hoje, com toda a tecnologia e com impressoras em cada casa.

Também utilizando-se dos costumes de uma época, muitas Bíblias foram queimadas... muitas Bíblias adulteradas! No século 16 havia o hábito de se queimar livros considerados falsos ou ultrajantes, então queimou-se muitas Bíblias, mas apenas as que continham heresias. Foi assim no início daquele século XVI, na Inglaterra, por exemplo. Havia uma Bíblia traduzida para o inglês, por William Tyndale, que segundo Thomas More possuia mais heresias do que água no mar.

Calvino, protestante como Lutero, também queimou Bíblias... umas traduções de Miguel Servet. E não se dando por satisfeito, providenciou para que o próprio tradutor também fosse pra fogueira com seus livros. Mas isso não está em muitos livros de história.

Com algumas iniciativas aqui apresentadas a Igreja conseguiu que a Bíblia chegasse até nós, intacta, completa, sem adulteração, por todos estes séculos. As cópias mais antigas da Bíblia se encontram atualmente na Biblioteca Vaticana e no Museu Britânico.

Nenhum comentário: