terça-feira, 12 de agosto de 2008

Tudo o que você precisa saber sobre a Bíblia

Primeiras noções
O que é, o que transmite, quem escreveu e em que idioma


O que é a Bíblia
A palavra bíblia significa "os livros" (vem do grego). A Bíblia, com B maiúsculo, é o conjunto dos livros inspirados por Deus, escritos sob inspiração do Espírito Santo. Mas a Bíblia também é chamada por outros nomes igualmente respeitáveis, como "Palavra de Deus", "Sagrada Escritura", "a Lei", "a Lei e os Profetas", "o Livro Sagrado", "as Sagradas Letras" e "a Divina Revelação".

Unidade na mensagem
Apesar dos diversos livros, dos muitos autores humanos e da distância de tempo entre eles, há na Bíblia uma maravilhosa unidade. Essa unidade consiste nisso: no Antigo Testamento é anunciado o Messias, o Filho de Deus que devia vir salvar a humanidade. No Novo Testamento é narrada a história e a doutrina do Salvador e de sua Igreja nascente.

Divisão literária
Há várias subdivisões ou classificações entre os 73 livros da Bíblia. Em maior grau, a Bíblia divide-se em duas partes: Antigo Testamento e Novo Testamento.
  1. Antigo Testamento: do começo da humanidade até Jesus Cristo. Contém 46 livros que tratam da história da humanidade e da doutrina do povo de Deus.
  2. Novo Testamento: contém 27 livros que narram a vida e os ensinamentos de Jesus e dos apóstolos e a história dos primeiros 60 anos da Igreja.
A palavra Testamento significa "pacto", "contrato", "aliança". Desta forma, o Antigo Testamento narra a Antiga Aliança de Deus com a humanidade por meio de Abraão e Moisés, ao passo em que o Novo Testamento narra a Nova Aliança de Deus com a humanidade feita por meio de Jesus Cristo.

Em menor grau, encontramos os capítulos de cada livro e os versículos que os compõem. A divisão em capítulos foi feita pelo cardeal Estêvão Langton entre o século 12 e 13, enquanto a divisão em versículos teve por autor o frade Santo Pagnino, em 1528.

Resumindo, a Bíblia é formada por Antigo e Novo Testamento, 73 livros, 1.333 capítulos e 35.700 versículos.

Idioma original e Tradução
Enquanto quase todo o Antigo Testamento foi escrito em hebraico, o Novo foi quase todo escrito em grego.

A primeira grande tradução da Bíblia chama-se Vulgata. Foi feita por São Jerônimo a pedido do 36º sucessor de Pedro, por sinal o primeiro espanhol: o Papa Dâmaso. O trabalho foi concluído no ano 384 e, desta forma, a Bíblia em latim passou a ser de uso universal (pois durante pelo menos mil anos foi o principal idioma da Europa).

Com o passar do tempo, outras traduções foram se tornando necessárias, e muitas vezes alguns idiomas nem tinham ainda definidos os seus alfabetos. Vemos aí um serviço prestado pela Igreja para algumas culturas:

No ano 885, Metódio (ou São Metódio, para os católicos), arcebispo da Morávia traduziu os 73 livros para os eslavos. O trabalho só foi possível porque logo antes Sirilo (ou São Sirilo) criou todo o alfabeto russo "sirílico". Fez isso sobretudo para que aquele povo pudesse participar melhor da vida da Igreja (liturgia e escrituras). No início do século oitavo (São) Beda traduziu o Evangelho de João para o inglês (morreu ao concluir este trabalho).

Muitos outros exemplos podem ser citados, mas já daqui é possível ter idéia que muitas outras traduções foram realizadas, dentro do que era possível cultural e tecnologicamente falando, sem os recursos da imprensa.

Atualmente a Bíblia encontra-se traduzida em todas as línguas mais conhecidas. É o livro mais conhecido, mais lido e mais meditado. Possui respostas para todos os problemas do homem em qualquer tempo. Como livro da vida, é o manual de instruções para que o homem atinja sua condição de Filho de Deus, a plenitude da criação.

Para refletir e responder:
  1. Em que consiste a Unidade da Bíblia? Qual é o seu assunto central?
  2. Como se divide a Bíblia?
  3. Houve alguma tradução da Bíblia antes da realizada por Lutero no século 16?

Publicado originalmente em 17 de setembro de 2005
Leia também: Parte 2: A autenticidade da Palavra de Deus

Nenhum comentário: